Como fazer um bom Currículo?

O melhor exemplo de currículo é aquele que não ultrapassa uma página, se caso for impresso. Mas se você deseja montar um bom currículo online perfeito, deve conter o máximo de informações sobre o candidato. Isso porque a análise inicial dos currículos online é feita por meio de um software, que não tem capacidade de interpretação. Isso significa dizer que, para ter o currículo visualizado, você deve preencher o currículo apresentando habilidades, cursos e experiências com os termos corretos, da forma como são buscados pelos recrutadores.

Outro ponto importante a considerar é o formato do currículo que você vai escrever. Para não ter erro, o formato cronológico inverso, aquele que apresenta as informações mais recentes primeiro, é o mais recomendado.

1. Inclua os dados pessoais no cabeçalho
Essas informações são essenciais para que você seja identificado pelo recrutador e também para que ele possa entrar em contato com você, se for o caso. No currículo, não há necessidade de incluir números de documentos, como muita gente ainda faz.
Nome completo (caso mais de um sobrenome, coloque apenas o último);
Nacionalidade, estado civil e idade;
Endereço, Cidade (Estado) e CEP;
Telefones (DDD+número), se possível colocar em ordem de “facilidade em te encontrar”;
E-mail pessoal (mas se for algo parecido com “htinha1999@exemplo.com.br” sugiro criar uma nova conta próximo de “seunomecompleto@exemplo.com.br”);
Link para site pessoal, portfólio ou perfil nas redes sociais.

2. Insira um objetivo profissional
No campo objetivo profissional, você deve indicar o cargo que você quer ocupar e a área em que quer trabalhar. O ideal é que essa informação seja igual ao cargo anunciado na vaga. Isso aumenta as chances de o seu currículo ser selecionado na primeira triagem.
Seja direto e conciso: nível e área. Apesar de simples, você terá que garantir que todo o resto do currículo online esteja alinhado com este cargo. Alguns exemplos são “coordenador administrativo”, “jovem aprendiz”, “estagiário de marketing”.
Caso você tenha foco em mais de uma área/nível será necessário fazer outro CV, uma vez que neste você irá destacar outras experiências e habilidades.

3. Faça um breve resumo
É o prefácio de um livro, ou seja, seu resumo profissional. Aqui é importante destacar, em um ou dois parágrafos, suas experiências, empresas ou setores em que trabalhou, formação acadêmica e habilidades extras.
Seja objetivo e evite adjetivos. Não diga, por exemplo, que você é “proativo” e “confiável”. Os fatos apresentados no currículo é que devem demonstrar essas qualidades;
Tente responder: “Por que a empresa deve contratar você e não o outro candidato? Quais são suas qualificações e experiências que irão agregar para a equipe?”.

4. Coloque sua experiência profissional
Esta é a história que você precisa contar ao recrutador. A ideia é listar as suas experiências profissionais, começando pelas mais recentes e chegando às mais antigas. Em cada item, você deve descrever as atividades que exerceu e, sempre que possível, os resultados que alcançou.
Nome da empresa + breve descrição (segmento, porte, nacionalidade);
Cargo + data de início/fim + principais atividades e, se possível, alguns destaques/resultados.

5. Coloque a sua formação acadêmica
Aqui, a ideia é listar a sua formação, especialmente graduação e pós, se você tiver, e cursos técnicos ligados à sua área de interesse.
Nível (Técnico, Tecnólogo, Bacharelado etc) + nome do curso e da instituição de ensino + data de início/fim.

6. Inclua os cursos complementares relevantes
Aqui, vale a pena destacar os cursos que estejam ligados à sua área de interesse. Cursos desatualizados, que já não tenham utilidade, podem ser descartados.
Nome do curso e da instituição + carga horária total + data de início/fim (lembre-se: foque em seu objetivo profissional). Se, por exemplo, você quer ser Analista Comercial, deixe de lado aquela palestra sobre seu horóscopo ou o curso de culinária.

7. Detalhe suas competências e habilidades
Algumas informações complementares que não estão diretamente relacionadas aos campos anteriores podem chamar a atenção do recrutador. Se você tem disponibilidade para viagens, por exemplo, pode usar este espaço para dizer isso. Se é fluente em inglês e tem conhecimento básico de espanhol, também. Se conhece softwares específicos da sua área ou sabe tudo de Excel, pronto: este é o lugar para tratar desses assuntos.
Liste seu conhecimento nas ferramentas usadas no dia a dia da carreira almejada (CRM, Excel avançado, Photoshop nível intermediário).
Inclua seu conhecimento de idiomas, sempre indicando o nível. Se possível o mais específico (A1, A2, B1, B2, C1 ou C2) ou, pelo menos, básico, intermediário, avançado ou fluente.
Possíveis disponibilidades (de mudança, de viagens, de horário etc);
Caso sua área exija habilitação ou carro (e você possua), coloque esta informação;
Se você participa de algum grupo como conselho, instituição ou ONG, destaque sua contribuição para a sociedade.

8. Coloque informações complementares
Você tem mais informações para contar mas elas não se encaixam em nenhum tópico acima? Este é o lugar para falar sobre elas. Se você tem hobbies, se já fez intercâmbio, se participou de alguma palestra importante, entregue essas informações para o recrutador. É importante tomar o cuidado de incluir apenas o que for relevante para o cargo que você quer ocupar ou a empresa em que você quer trabalhar.

Fonte: https://www.vagas.com.br/profissoes/como-fazer-curriculo-dicas/